Agenda Qualificações e Defesas

  • Josué Pires de Carvalho Open or Close

    Defesa - Doutorado
    Data: 24/02/2017, às 10:00
    Local: Sala 43, do bloco B2 da FEA-RP
    Autor: Josué Pires de Carvalho

    Título: Campo organizacional e adoção de Indicação Geográfica (IG): um estudo sobre a produção de cafés especiais no Brasil

    Orientador(a): Prof(a). Dr(a). João Luiz Passador

    Resumo: O café se apresenta como uma commodity de grande impacto na produção agrícola e pauta de exportação do Brasil, sendo os Estados de Minas Gerais e São Paulo importantes neste contexto. Entretanto, apesar de o Brasil ser referência mundial na produção de cafés, no que se refere à produção de café especial e de maior valor agregado, ainda se constitui em um grande desafio sua aceitação plena nos principais mercados consumidores. Neste contexto, a adoção de Indicação Geográfica (IGs), se apresenta como um importante indicador para que uma região seja reconhecida formalmente na condição de produtora de cafés diferenciados. Assim, considera-se que a participação do Estado e demais atores envolvidos são fundamentais neste processo. Parte-se para a compreensão de tal fenômeno, pelo enfoque da teoria institucional, considerando o papel de todos os stakeholders bem como os indutores de isomorfismo atuantes no campo organizacional. Neste sentido, o estudo visou a estudar empiricamente essas relações. Para isso, foram realizadas entrevistas em profundidade, analise documental e observação, com os diversos seguimentos dos agentes presentes no campo, e, em especial, em três regiões cafeeiras, quais sejam: Noroeste de Minas e Matas de Minas, no Estado de Minas Gerais e a Alta Mogiana no Estado de São Paulo. As três regiões foram escolhidas por serem as mais representativas e convenientes para o universo de cafés especiais brasileiros e seu elevado grau relativo de desenvolvimento institucional, sendo que duas (Noroeste de Minas e Alta Mogiana) já possuem Indicação Geográfica (IGs) e a terceira (Matas de Minas) está em processo de adoção. Os resultados da pesquisa indicam a experiência longeva da atividade produtiva no Brasil, onde se manifesta a institucionalização de um campo organizacional, como variável fundamental para o aperfeiçoamento do mercado de cafés para uma realidade econômica atual que privilegia qualidade e experiências de consumo diferenciados. O universo dos cafés especiais é, portanto, o locus da construção e desenvolvimento de uma cultura mais do que a mera produção e consumo de uma commodity.

  • Matheus Augusto Marcusso Open or Close

    Data: 22/02/2017, às 10h00
    Local: Sala 43, bloco B2 da FEA-RP
    Título: Conflito entre as abordagens de rentabilidade, intermediação e produção em bancos corporate brasileiros: uma análise DEA dois estágios entre 1996 e 2015
    Autor: Matheus Augusto Marcusso

    Banca: Prof(a). Dr(a). Alexandre Pereira Salgado Junior (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Alberto Borges Matias (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA/RP)

    Prof(a). Dr(a). Marcelo Botelho da Costa Moraes (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA)

    Prof(a). Dr(a). Adriel Martins de Freitas Branco (Universidade de Ribeirão Preto - UNAERP)

    Resumo: Esta pesquisa investiga um possível conflito de abordagens de eficiência de bancos corporate brasileiros entre 1996 a 2015 através da análise envoltória de dados (DEA) em dois estágios. No primeiro estágio, é utilizada a ferramenta DEA para estudar a eficiência sob as três principais abordagens de avaliação: intermediação, produção e rentabilidade para cada instituição financeira e período. O segundo estágio é composto pela regressão logística, cujo objetivo é identificar indicadores financeiros do modelo CAMEL – acrônimo que representa cinco estruturas de avaliação de risco bancário: adequação de capital, qualidade dos ativos, qualidade da gestão, rentabilidade, liquidez – e receita operacional (indicador de porte) que estejam relacionados com a eficiência. Há evidências da existência de conflito entre as abordagens, revelando dois perfis de bancos: eficientes em intermediação e produção versus rentabilidade.