LINHAS DE PESQUISA A PARTIR DE OUTUBRO DE 2018

 

I - Estudos Organizacionais e Políticas Públicas

Docentes:

  • Alexandre Pereira Salgado Junior
  • André Lucirton Costa
  • Cláudia Souza Passador
  • Dante Pinheiro Martinelli
  • Elizabeth Krauter
  • Evandro Marcos Saidel Ribeiro
  • Gilberto Aparecido Prataviera
  • João Luiz Passador
  • Marcio Mattos Borges de Oliveira
  • Perla Calil Pongeluppe Wadhy Rebehy

 

 II - Gestão da Inovação e Sustentabilidade

 Docentes:

  • Adriana Cristina Ferreira Caldana
  • Alexandre Bevilacqua Leoneti
  • Charbel José Chiappetta Jabbour
  • Geciane Silveira Porto
  • Lara Bartocci Liboni Amui
  • Luciana Oranges Cezarino
  • Rogério Cerávolo Calia
  • Sérgio Kannebley Júnior
  • Simone Vasconcelos Ribeiro Galina
  • Sonia Valle Walter Borges de Oliveira

 

III - Criação de Valor: Gestão de Processos Organizacionais e de Marketing

Docentes:

  • Edgard Monforte Merlo
  • Janaina de Moura Engracia Giraldi
  • Jorge Henrique Caldeira de Oliveira
  • Luciano Thomé e Castro
  • Marcos Fava Neves
  • Silvia Inês Dallavalle de Pádua

 

 

LINHAS DE PESQUISA ATÉ SETEMBRO DE 2018

 

1 - Estudos Organizacionais e Desenvolvimento

Descrição:

Visa proporcionar a compreensão sistêmica das organizações, da evolução das teorias da administração, do ambiente externo que as influenciam, assim como dos processos administrativos e de gestão no setor público, no setor privado e no terceiro setor. Busca subsidiar a análise de políticas públicas e a proposição de modelos organizacionais para intervenções integradas de desenvolvimento.

 

2 - Gestão da Inovação e Sustentabilidade

Descrição:

Dedicada à análise e gestão dos aspectos da inovação e da sustentabilidade. De forma geral, as pesquisas decorrentes desta linha contribuem para o avanço no estado da arte sobre os temas relevantes para a gestão da inovação, que venham a proporcionar novos produtos, processos produtivos, negócios, métodos organizacionais; e para a sustentabilidade, que contribuam com a melhoria do desempenho das dimensões econômica, social e ambiental das organizações.

 

3 - Planejamento, Inteligência de Mercado e Relações Contratuais

Descrição:

Combina os elementos de inteligência de marketing e planejamento estratégico voltado ao acesso a mercados. Propõe o desenvolvimento e a aplicação de conhecimento em cadeias de valor e relações contratuais, objetivando compartilhar recursos e potencializar movimentos estratégicos das organizações envolvidas nestes arranjos. Em conjunto, estuda os aspectos de consumo e da gestão de marcas aplicada a lugares e empresas, compreendendo a perspectiva das organizações detentoras da marca e os seus diversos mercados consumidores.

 

4 - Geração de Valor

Descrição:

Envolve o estudo e pesquisa das teorias de finanças, operações, processos de negócios e redes complexas com o intuito de entender as novas dinâmicas do mercado, desenvolver teorias e métodos que levem à geração de valor nas organizações e instituições públicas e privadas. O que também compreende as questões relacionadas à administração dos recursos para melhorar o desempenho, a sustentabilidade e gerar valor.

Agenda Qualificações

  • Marco Antonio Catussi Paschoalotto Open or Close

    Área: Administração de Organizações
    Data: 23/10/2018, às 14h00
    Local: Sala da Congregação, bloco A da FEA-RP
    Título: Panorama da regionalização da saúde no Brasil: proposta e aplicação de Índice Sintético para avaliação das regiões de saúde em todo Brasil de 2012 a 2016
    Autor: Marco Antonio Catussi Paschoalotto

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). João Luiz Passador (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Ana Luiza D Avila Viana (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo) - webconferência Mconf

    Prof(a). Dr(a). Jose Eduardo Ferreira Lopes (Universidade Federal de Uberlândia - UFU)

Agenda Defesas

  • Jaluza Maria Lima Silva Borsato Open or Close

    Prezados(as) Senhores(as),


    Seguem informações a respeito de defesa de tese de Doutorado agendada na FEA-RP:Área:    Administração de Organizações
    Data:    29/10/2018, às 09h30
    Local: Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Antecedentes da Inovação Verde: uma análise de empresas do setor industrial dos países desenvolvidos e países em desenvolvimento
    Autor: Jaluza Maria Lima Silva Borsato

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Lara Bartocci Liboni Amui (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Daniel Jugend (Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho - UNESP) - webconferência Mconf

    Prof(a). Dr(a). Isak Kruglianskas (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA) - webconferência Mconf

    Prof(a). Dr(a). Simone Vasconcelos Ribeiro Galina (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Sonia Valle Walter Borges de Oliveira (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Adriana Backx Noronha Viana (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA) - webconferência Mconf

     

    Resumo: Inovação verde incorpora melhorias tecnológicas que economizam energia, previne a poluição, permite a reciclagem de resíduos e pode incluir design de produto verde e a gestão ambiental das empresas. Este tema tem sido estudado por diversos autores sob vários aspectos, mas os resultados sobre os antecedentes da Inovação Verde ainda apresentam divergências na literatura. Diante disso e com base na teoria institucional, este estudo pretende analisar como o grau de severidade das regulamentações ambientais e a competitividade internacional dos países afetam os esforços em Inovação Verde das empresas do setor industrial dos Países Desenvolvidos (PD) e dos Países em Desenvolvimento (PED). A amostra da pesquisa foi composta por 186 empresas industriais, que constam na lista das 500 maiores empresas por valor de mercado da Financial Times no ano de 2015, sendo 114 de PD e 72 PED. Foram utilizados no estudo como variáveis de análise: o índice de competitividade global do World Economic Forum (WEF), os indicadores de regulamentação ambiental da OECD, as informações sobre certificação ISO 14001 nos relatórios de sustentabilidade das empresas baseados nas diretrizes de GRI, as medidas de tamanho da empresa, o grau de internacionalização e investimentos ambientais coletados da base Thomsom One, bem como as informações sobre Pacto Global e sobre DJSI. Como metodologia, este trabalho caracterizou-se por ser um estudo descritivo, com abordagem quantitativa, uma vez que foram levantados dados e utilizou-se da Modelagem de Equações Estruturais para análise da relação entre as variáveis. Os principais resultados do trabalho foram: (a) O rigor das regulamentações ambientais dos países afetam o esforço de inovação verde das empresas industriais dos PD e PED somente no construto IV2, composto pelas variáveis Pacto Global e investimentos ambientais; (b) A competitividade dos países não apresentou influência positiva no esforço de inovação verde das empresas e demonstrou um efeito negativo e significante estatisticamente no construto IV2; (c) o tamanho das empresas só apresentou um impacto positivo e significante estatisticamente sobre o construto IV2; (d) o grau de internacionalização das empresas não apresentou um efeito significativo sobre nenhum dos construtos de inovação verde; (e) a relação entre as regulamentações ambientais e a inovação verde é moderada positivamente pelo tamanho das empresas e moderada negativamente pelo seu grau de internacionalização; (f) a relação entre a competitividade dos países e a inovação verde é moderada negativamente pelo tamanho das empresas e moderada positivamente pelo seu grau de internacionalização.

  • Angelo Antonio Davis de Oliveira Nunes e Rodrigues Open or Close

    Prezados(as) Senhores(as),


    Seguem informações a respeito de defesa de tese de Doutorado agendada na FEA-RP:Área:    Administração de Organizações
    Data:    25/10/2018, às 15h00
    Local: Sala 43, bloco B2 da FEA-RP
    Título: Uma avaliação do pacote de remuneração dos executivos como mecanismo de governança corporativa em Sociedades de Economia Mista brasileiras
    Autor: Angelo Antonio Davis de Oliveira Nunes e Rodrigues

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Elizabeth Krauter (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Carlos Alberto Grespan Bonacim (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Laise Ferraz Correia (Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET/MG) - webconferência Mconf

    Prof(a). Dr(a). Fernanda Maciel Peixoto (Universidade Federal de Uberlândia - UFU) - webconferência Mconf

    Prof(a). Dr(a). Joaquim Rubens Fontes Filho (Fundação Getúlio Vargas - FGV) - webconferência Mconf

    Prof(a). Dr(a). Almir Ferreira de Sousa (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA) - webconferência Mconf

     

    Resumo: O Estado no Brasil exerce a função de empresário e controla diversas empresas que têm capital negociado em bolsa. Seu comportamento é apontado como fraco em relação ao controle dos executivos e omisso em relação aos minoritários. Essa situação abre a possibilidade de ocorrer o aumento dos benefícios pecuniários dos gestores sem relação com o desempenho. Por isso, o objetivo geral da pesquisa é investigar a relação entre o pacote de remuneração dos executivos nas Sociedades de Economia Mista (SEM) brasileiras e o seu desempenho financeiro ou de mercado. No alcance ao primeiro objetivo específico foi realizada uma revisão da literatura que apontou para essa possível relação em empresas privadas, como também foi sugerida a necessidade de essa relação ser controlada pelo tamanho da empresa, alavancagem, tipo de controle acionário, qualidade da governança corporativa e pelo setor de atuação, mas essa revisão encontrou poucos estudos sobre remuneração em SEM. O segundo objetivo específico foi descrever a política salarial das SEM brasileiras, cuja remuneração média do grupo de executivos por empresa aumentou 179,61%, de R$ 3.119.601,88 para R$ 8.722.635,66. A remuneração individual mensal média dos executivos aumentou no período e alcançou R$ 93.748,03, sendo R$ 62.554,28 da parte fixa e o restante da parte variável, enquanto o desempenho financeiro e de mercado diminuíram. O terceiro objetivo específico foi estudar o comportamento da remuneração dos executivos enquanto mecanismo de governança corporativa. Esse intento foi observado em uma amostra com 31 SEM brasileiras, com informações de 2009 a 2016, que foram utilizadas em quatro diferentes técnicas de regressão: Pooled, dados em painel com efeito fixo, com efeito aleatório e o método dos momentos generalizados. A primeira parte do terceiro objetivo verificou se o pacote de remuneração dos executivos explica o desempenho financeiro, porém nenhum dos modelos testados apresentou resultados robustos. A segunda parte verificou a possibilidade de o pacote de remuneração dos executivos explicar o desempenho de mercado, e com base nestes resultados aponta-se uma relação positiva entre a remuneração variável dos executivos e o desempenho de mercado e uma relação negativa quando comparada ao salário mensal médio dos executivos. No período, 11 empresas da amostra utilizaram a remuneração variável de forma permanente, fato que aliado ao ambiente de decréscimo do desempenho financeiro e de mercado aponta para a necessidade de reformulação do pacote de remuneração dos executivos nas SEM. A contribuição da pesquisa foi apresentar as variáveis capazes de controlar a relação entre o pacote de remuneração dos executivos e o desempenho financeiro e de mercado das SEM brasileiras, a descrição da política salarial e do pacote de remuneração, bem como a sua desconexão com o desempenho devido à contribuição negativa da remuneração mensal média para o desempenho de mercado, fato que evidencia a falha desse mecanismo de governança corporativa na proteção aos acionistas não controladores.