Quarta, 13 Março 2019 14:25

Economia brasileira tem recuperação tímida

Avalie este item
(1 Voto)

 

O Boletim Conjuntura Econômica de março de 2019 traz dados que mostram que a economia brasileira tem se recuperado de forma tímida. Apesar de positiva, manteve-se abaixo das expectativas de mercado. O PIB cresceu 0,1% no último trimestre de 2018 (outubro a dezembro) em comparação com o trimestre anterior (julho a setembro). Foi a oitava variação positiva consecutiva.

 

O boletim foi elaborado pelos pesquisadores Eduardo Teixeira e Armando Henrique Zeviani sob a coordenação do professor Luciano Nakabashi, da Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace), entidade gerida por professores da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP.

 

No último trimestre de 2018 as despesas de consumo das famílias cresceram 1,5% na comparação com o mesmo trimestre de 2017, o que pode ser explicado pela melhora no crédito para pessoa física e no mercado de trabalho, além da queda nos juros. No mesmo período foi registrado um aumento de 3% nos investimentos, comparado com o mesmo trimestre do ano anterior. É o quinto resultado positivo consecutivo.

 

As exportações no último trimestre de 2018 tiveram um crescimento de 12%, resultado obtido pelo aumento das vendas da agropecuária, extração e derivados de petróleo e outros equipamentos de transporte. O bom resultado do agro é fruto das exportações de soja para a China, que passou a substituir o produto norte-americano pelo brasileiro, resultado da elevação de tarifas entre os países.

 

Com relação ao último trimestre de 2017, o PIB brasileiro cresceu 1,1% no mesmo período de 2018. Foi o oitavo resultado positivo consecutivo. Os setores de agropecuária e serviços apresentaram crescimento de 0,2%, enquanto a indústria recuou 0,3%.

 

Os índices de inflação do IBGE em 2018, no geral, apresentaram certa estabilidade em relação ao acumulado de 2017. O IPCA de janeiro de 2019 ficou em 3,8%, uma variação de 0,92 p.p. em relação ao mesmo período de 2018.

 

A taxa de desemprego ficou em 12% (12,7 milhões de pessoas) no trimestre terminado em janeiro de 2019. Em relação ao mesmo período do ano anterior, registrou-se uma queda de 1,64%. A elevação no desemprego em relação ao trimestre anterior decorre do desaquecimento cíclico da economia no mês de janeiro.

 

Taxa de Desemprego

conjunturamar2019

Fonte: PNAD contínua – IBGE.

 

Por: Leonardo Rezende, Assessoria de Comunicação da FEA-RP.
Imagem por M. B. M. via Unsplash

Lido 241 vezes Última modificação em Quarta, 13 Março 2019 14:38