Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • Stephanie Duarte Estéban Open or Close

    Área: Administração de Organizações

    Curso: Doutorado
    Data: 15/12/2020, às 12h00 (horário de Brasília)
    Local: Devido à contingência da COVID-19, a banca ocorrerá totalmente online e será transmitida publicamente.

    Link da transmissão ao vivo: https://stream.meet.google.com/stream/e9b7b431-2192-4a12-ac11-d8aac52c4d7b

    Obs: Apenas usuários com contas "@usp" podem acessar a transmissão. Caso usuários que não possuam estas contas queiram assistir a sessão, deverão nos enviar (com antecedência) e-mail para "posgrad@fearp.usp.br" e enviaremos as instruções.

    Título: As estruturas de governança e capacidades fundamentais para captura de valor no mercado de café gourmet no sul de Minas Gerais
    Autor: Stephanie Duarte Estéban

    Banca: Prof(a). Dr(a). Luciano Thomé e Castro (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). José Paulo de Souza (Universidade Estadual de Maringá - UEM)

    Prof(a). Dr(a). Marcos Fava Neves (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Maria Sylvia Macchione Saes (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA)

    Prof(a). Dr(a). Sandra Mara de Alencar Schiavi (Universidade Estadual de Maringá - UEM

    Prof(a). Dr(a). Eduardo Eugenio Spers (Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - Esalq)

    Resumo: 

    O consumo crescente de cafés de melhor qualidade no Brasil e no mundo, assim como a busca de maior rentabilidade no segmento rural vêm estimulando a diferenciação do café commodity. Quando se busca diferenciar um produto, é necessário adquirir os melhores recursos e competências que tragam vantagem competitiva. O produtor rural deve diferenciar o seu produto e, para isso, será necessário buscar arranjos que possibilitem a efetividade da diferenciação por meio de ajudas técnicas e financeiras, o que culminará com o reconhecimento da qualidade do café diferenciado para a obtenção de remuneração adequada. Ou seja, é preciso buscar parcerias com outras organizações para que se adquira melhores recursos e competências. Além disso, é necessário para os produtores entender qual a melhor maneira de capturar valor na comercialização desses cafés diferenciados. Estes são comumente conhecidos como especiais e agrupados em cinco categorias: cafés gourmet (finos), orgânicos, cafés de origem (estate coffee), fair trade e sombreados. O café gourmet é o mais importante do mercado de cafés especiais, pois se trata de um produto diferenciado, quase isento de defeitos, o que agrega um sobrepreço superior em comparação aos outros cafés especiais, sendo que sua produção é destacada na região brasileira do sul do Estado de Minas Gerais. Dito isso, por meio de três linhas teóricas de estratégia, a saber: Visão Baseada em Recursos (VBR), Economia dos Custos de Transação (ECT) e Análise do Posicionamento Estratégico (APE), buscou-se compreender quais são as estruturas de governança e capacidades fundamentais para captura de valor em mercados de café gourmet, e o seu posicionamento. Para tanto, por meio de pesquisa de cunho qualitativo e exploratório, foram entrevistados os produtores de café gourmet no sul de Minas Gerais. Além desses, foram entrevistados os sujeitos citados pelos cafeicultores como facilitadores da produção, no caso, as seguintes empresas: corretora, exportadora, armazém, beneficiadora, torrefadora e comercializadora. Os dados foram analisados pela técnica de análise de conteúdo por meio do auxílio do software NVivo® Versão 1.2 (426). Pretendeu-se, assim, compreender de que forma o aumento do consumo de cafés gourmet está reorganizando os sistemas agroindustriais no sul de Minas Gerais, sob o ponto de vista estratégico da complementariedade das três teorias, tendo como resultado um modelo de orientação para o direcionamento tático que os produtores de café gourmet podem adotar para melhor captura de valor na comercialização do produto. Como achados da pesquisa, verificou-se que para a produção de café gourmet, o principal recurso é a região produtora, e a competência é a atenção, dedicação e “timing” dos processos de colheita, secagem e torrefação.