Sexta, 01 Fevereiro 2019 16:01

Integração e maior internacionalização são as metas da nova gestão da CPG

Avalie este item
(2 votos)

Promover ações que visem dar maior projeção à Pós-Graduação da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP no cenário acadêmico são as metas da nova gestão da Comissão de Pós-Graduação (CPG) da FEA-RP, cujos presidente e vice-presidente são, respectivamente, os professores José Dutra de Oliveira Neto e Sílvio Hiroshi Nakao.

 

Entre as ações previstas estão a integração com outras comissões, a promoção da internacionalização e incentivar docentes a se credenciarem nos programas. Segundo Oliveira Neto e Nakao, outras ações estão sendo planejadas para fomentar a internacionalização, em conjunto com a Pró-Reitoria de Pós-Graduação da USP, como a participação no Programa de Internacionalização da CAPES (Print), incentivos para vinda de professores estrangeiros e o oferecimento de disciplinas em inglês.

 

Os novos gestores também pretendem aumentar o diálogo com os professores, alunos e servidores técnico-administrativos: “As portas estão e permanecerão abertas para o diálogo. Nosso objetivo é o de capacitar os nossos estudantes para atender às necessidades pessoais, institucionais e de mercado e resolver os problemas da sociedade. ”

 

Dutra possui graduação em Engenharia Elétrica pela Fundação Armando Álvares Penteado, mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas e doutorado em Controladoria e Contabilidade pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP. É pós-doutor em Qualidade em Ensino a Distância pela University of Illinois at Urbana-Champaign, EUA.

 

Nakao é pós-doutor pela University of Sydney, Austrália, tem mestrado e doutorado em Contabilidade e Controladoria e graduação em Contabilidade pela FEA-USP e também graduado em Administração de Empresas pela Universidade de Ribeirão Preto.

 

Confira a entrevista completa com os professores:

O que pretende priorizar na sua gestão?

O nosso plano de gestão visa estruturar a Pós-Graduação para colocá-la em posição de destaque em médio e longo prazo, com a visão de que os Programas estão caminhando progressivamente para a plena internacionalização de suas atividades de pesquisa e de ensino.

No que está no âmbito da CPG, o plano de curto prazo é realizar ações integradas com as demais comissões da FEA-RP, apoiar as CCPs nos processos de aprovação e avaliação junto à USP e à CAPES e outros órgãos de fomento, apoiar e incentivar os alunos atuais, alunos potenciais e egressos no desenvolvimento de seu aprendizado.

O plano de médio e longo prazos é incentivar os docentes que não estão credenciados nos Programas de Pós-Graduação, melhorar os processos da própria comissão e apoiar as iniciativas de aumento da internacionalização dos Programas.

 

Pretendem fomentar a internacionalização dos programas? De qual maneira?

Diversas ações estão sendo planejadas, em conjunto com a pró-reitoria da USP, para fomentar a internacionalização:

· Incentivo para que os professores participem do projeto Programa Institucional de Internacionalização (Print);

· Incentivo para vinda de professores estrangeiros por meio do projeto Programa Institucional de Internacionalização (Print);

· Incentivo para que os professores ministrem aula em inglês;

· Incentivo para que os professores ministrem disciplinas online com participação de professores estrangeiros;

· Incentivo para que os professores ministrem cursos de difusão online em Inglês/Português para o público internacional.

 

O que os alunos podem esperar de vocês?

Queremos cada vez mais ouvir os professores, alunos e funcionários, de tal modo que possamos melhorar de forma contínua a pós-graduação da FEA-RP. As portas estão e permanecerão abertas para o diálogo.

Nosso objetivo é o de capacitar os nossos estudantes para atender as necessidades pessoais, institucionais e de mercado e resolver os problemas da sociedade.

 

Há professores que ainda não são credenciados para os programas. Como mudar essa realidade?

Por meio de mestrado profissional, vamos aumentar as oportunidades a esses professores.

 

Quais os impactos do termo de compromisso firmado entre a USP e a CAPES para remodelar a pós?

Embora essas discussões ainda estejam em andamento, acreditamos que esse modelo novo vai conectar o nosso sistema com os modelos vigentes no mundo. A ênfase no Doutorado e na internacionalização será o foco. O mestrado acadêmico perde força e dá espaço para o mestrado profissional. Os nossos programas tendem a alinhar com este novo modelo, sem abrir mão da qualidade USP.

 

A FEA-RP pretende investir em mestrado profissional?

Uma das metas é dar aos professores mais oportunidade de ingressar na pós-graduação. Além do mestrado e doutorado acadêmicos, temos como meta viabilizar a criação de 1 ou mais programas de mestrado profissional, que vão aproveitar a experiência de nossos professores.

 

Por: Leonardo Rezende, Assessoria de Comunicação da FEA-RP

Lido 131 vezes Última modificação em Sexta, 01 Fevereiro 2019 16:18