Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • Julio Kyosen Nakatani Open or Close

    Área:   Administração de Organizações
    Data:   12/02/2019, às 9:00
    Local: Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Canais de distribuição de produtores de hortícolas: uma proposta de gestão
    Autor: Júlio Kyosen Nakatani

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Marcos Fava Neves (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Luciano Thomé e Castro (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA-RP) - webconferência MCONF

    Prof(a). Dr(a). Adriana Cristina Ferreira Caldana (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Rosane Lucia Chicarelli Alcantara (Universidade Federal de São Carlos - UFSCar)

    Prof(a). Dr(a). Ricardo Messias Rossi (Universidade Federal de Goiás - UFG)  - webconferência MCONF

    Prof(a). Dr(a). Abadia dos Reis Nascimento (Universidade Federal de Goiás - UFG) - webconferência MCONF

     

     

    Resumo: Um dos maiores desafios encarados pelo produtor rural, e em especial o de hortaliças, é a comercialização de seus produtos. Portanto, percebe-se ser necessário esquematizar formas de se obter o melhor controle da qualidade dos produtos, mitigar as perdas de pós-colheita, agregar valor ao produto e distribuir melhor o lucro pela cadeia produtiva, assegurando a sustentabilidade da mesma. Surgem, então, as questões de quais são as transações e modelos de gestão existentes nos canais de distribuição de produtores de hortícolas. Qual modelo de gestão seria o mais adequado para os membros da cadeia? Na tentativa de contribuir com a solução deste problema, o presente estudo tem o objetivo de caracterizar as transações e modelos de gestão existentes entre produtores de hortícolas, intermediários e varejistas, e propor um novo modelo de gestão. Utilizaram-se entrevistas em profundidade para caracterização da cadeia de hortaliças e o estudo de caso único integrado de produtores de hortaliças, em especial o tomate, intermediários e varejistas na região metropolitana de Goiânia, Goiás. A análise dos dados foi por meio da triangulação do referencial teórico com os modelos de canais de distribuição de produtos perecíveis e com a descrição do caso. Os resultados do estudo indicaram que existem modelos de canais de distribuição eficientes, para a cadeia de produtos perecíveis na literatura; que os modelos caracterizados, na região de Goiânia, são passíveis de melhorias para atender as mudanças nos padrões de consumo e regulação dos canais de distribuição; existe, pois congruência e sinergias entre a teoria e modelos de canais de distribuição de produtores de hortícolas; e que esses permitem a elaboração de modelos organizacionais mais adequados, entre produtores de hortaliças, intermediários e varejistas. Com a proposição desse modelo, espera-se contribuir com uma estrutura organizacional que auxilie nas atividades de planejamento e gestão dos canais de distribuição de produtores de hortícolas, por gestores e especialistas, com transparência, sinergismo e satisfação de todos envolvido nos elos da cultura de tomate.

  • Ornella Pacífico Open or Close

    Área:   Administração de Organizações
    Data:   08/02/2019, às 09h00
    Local: Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Proposta de práticas administrativo-pedagógicas para escolas municipais brasileiras de ensino fundamental II com alto nível socioeconômico
    Autor: Ornella Pacifico

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Alexandre Pereira Salgado Júnior (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Perla Calil Pongeluppe Wadhy Rebehy (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Amaury Patrick Gremaud (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Filomena Elaine Paiva Assolini (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto - FFCLRP)

    Prof(a). Dr(a). Márcia Cristina Argenti Perez (Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho - UNESP) - videoconferência

    Prof(a). Dr(a). Paulo Sérgio de Arruda Ignácio (Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP) - videoconferência

     

    Resumo:  O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é um importante indicador que tem como objetivo mensurar o desempenho dos estudantes ao final de cada uma das etapas do ensino fundamental e, consequentemente, identificar como está a qualidade da educação no país. Embora exista ao longo dos anos uma pequena evolução nos indicadores, ainda está aquém das metas estipuladas pelo governo. No mesmo sentido, também é baixo o desempenho dos estudantes no PISA (Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes) quando se comparado aos demais países da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Apesar do desempenho estudantil estar abaixo da média internacional, observa-se que os valores gastos em educação pelo governo brasileiro são acima dos valores médios investidos pelos países da OCDE. Assim, diante da discrepância observada nos desempenhos dos alunos em testes padronizados dentro do país ou mesmo fora dele, questiona-se se os valores gastos em educação são mal administrados ou se estão sendo insuficientes. Com isso, faz-se necessário identificar quais práticas estão sendo desempenhadas pelas escolas para que obtenham desempenhos diferentes. Assim, o objetivo desta tese foi propor práticas administrativo-pedagógicas que podem ser utilizadas como referência na gestão de escolas do ensino fundamental e que colaborem para o desempenho no Ideb de escolas municipais do ensino fundamental II. A pesquisa foi realizada em duas etapas, quantitativa e qualitativa, em que, na etapa quantitativa, foi desenvolvido um modelo de eficiência para que, por meio da Análise por Envoltória de Dados (DEA), fosse criado um ranking de eficiência relativa de escolas de ensino fundamental II considerando o nível socioeconômico, o investimento médio por aluno e o desempenho no Ideb de cada escola. A partir do ranking criado, foi realizada a análise de quintil e a regressão truncada a partir das bases do Censo Escolar e Questionários da Prova Brasil. No intuito de compreender o fenômeno estudado, foram realizados estudos de casos em oito escolas de quatro municípios localizados no estado de São Paulo. Por fim, em compilação das duas etapas, chegou-se a treze práticas administrativo-pedagógicas como proposta do trabalho. As práticas envolvem diretores, secretários municipais, pais e professores em ações relativas as áreas financeiras, gestão de pessoas, operacional e pedagógica.

     

  • Lilian Ribeiro de Oliveira Open or Close

    Área:   Administração de Organizações
    Data:   08/02/2019, às 14:00 (horário de Brasília)
    Local: Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Políticas públicas sociais: avaliação e integração entre assistência social e saúde pública no estado de São Paulo
    Autor: Lilian Ribeiro de Oliveira

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Claudia Souza Passador (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). José Sebastião dos Santos (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - FMRP)

    Prof(a). Dr(a). Jair Licio Ferreira Santos (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - FMRP)

    Prof(a). Dr(a). Jose Eduardo Ferreira Lopes (Universidade Federal de Uberlândia - UFU)

    Prof(a). Dr(a). Vicente da Rocha Soares Ferreira (Universidade Federal de Goiás - UFG)

    Prof(a). Dr(a). Fernando de Barros Filgueiras (Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG) - videoconferência

     

    Resumo: No Brasil, as políticas públicas sociais foram inscritas na Constituição Federal de 1988, sob a égide dos direitos sociais – por serem de alcance universal e igualitário, proporcionam o exercício da cidadania aos brasileiros. Neste contexto, ressaltam-se o Sistema Único de Saúde (SUS) e o Sistema Único de Assistência Social (SUAS) – este último é fortemente inspirado nos moldes do SUS. Desse modo, o objetivo desta tese visa avaliar o desempenho das políticas públicas de saúde e assistência social nos municípios do estado de São Paulo, relacionando-as sob o ponto de vista das políticas públicas integradas e intersetoriais. Sublinha-se o exercício da avaliação como ferramenta crucial para o aperfeiçoamento e o desenvolvimento da gestão de políticas públicas de caráter multidimensional. No que diz respeito à integração entre as áreas de saúde e assistência social, para este trabalho foram consideradas as ações complementares de saúde do Programa Bolsa Família (PBF), no qual há a transferência de renda com condicionalidades. Tal proposta realizou-se por meio dos métodos múltiplos, e o estudo caracteriza-se como descritivo e exploratório, com viés qualitativo e quantitativo. A coleta de dados ocorreu conforme a revisão teórica integrativa; a análise quantitativa descritiva, de correlação e multinível; a descrição das ações de avaliação que vigoram no SUS e no SUAS; e a aplicação de questionários sobre os resultados e usos da avaliação para os conselhos estaduais de saúde e assistência social. Como resultado da pesquisa realizada, visualiza-se a construção de mecanismos e sistemas informatizados para a potencialização das práticas avaliativas no Brasil, com ênfase à busca por uma cultura de avaliação permeada pela transparência, disponibilidade e confiabilidade dos dados. Com a divisão dos municípios em faixas populacionais homogêneas, aqueles de menor contingente populacional obtiveram maiores percentuais beneficiários do PBF, elevada cobertura do cumprimento de condicionalidade de saúde e melhores performances no Índice de Desempenho do Programa Bolsa Família (IGDPBF). Não obstante, nesses municípios se notaram melhores coberturas de equipes de Atenção Básica (AB) e maiores recursos financeiros per capita para a AB. Acredita-se que os municípios com maiores populações possuem mais dificuldades relativas ao acesso e à oferta de serviços de saúde e assistência social, principalmente nos bolsões de pobreza. No que diz respeito à integração entre as áreas de saúde e assistência social, os resultados evidenciaram associações estatisticamente significantes de magnitude de fraca a moderada, e algumas associações apontaram a combinação entre oferta e acesso aos serviços básicos de saúde, com melhores indicadores de cumprimento das condicionalidades de saúde do PBF e do IGDPBF. A análise multinível expressou que o porte populacional explica parte das variáveis investigadas e que as condições inerentes aos municípios demonstram o desempenho dos outros indicadores analisados. No tocante à percepção dos conselheiros de saúde e assistência social sobre avaliação e intersetorialidade das ações, eles as classificaram como pouco utilizadas pelos gestores na tomada de decisão, enquanto as iniciativas integradas entre os setores foram vistas como incipientes. Diante dos resultados encontrados ressalta-se que a oferta e o acesso aos serviços básicos de saúde são determinantes para a efetividade das políticas de assistência social e consequentemente da melhoria das condições de vida da população.