EM ANDAMENTO
 
 
FINALIZADOS
 

 

 
  
  

Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • Otávia Travençolo Muniz Sala Open or Close

    Área: Administração de Organizações
    Data: 03/07/2019, às 14h00 (horário de Brasília)
    Local: Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Conhecimento em sustentabilidade no curso de Administração, nas escolas de negócios brasileiras signatárias e não signatárias do Principles for Responsible Management Education (PRME)
    Autor: Otávia Travençolo Muniz Sala

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Adriana Cristina Ferreira Caldana (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Sonia Valle Walter Borges de Oliveira (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Luciana Oranges Cezarino UFU (FEA-RP) - webconferência MCONF

    Prof(a). Dr(a). Neusa Maria Oliveira Barbosa Bastos (Universidade Presbiteriana Mackenzie - UPM) - webconferência MCONF

    Prof(a). Dr(a). Sylmara Lopes Francelino Gonçalves Dias (EACH/USP) - webconferência MCONF

    Prof(a). Dr(a). Flávio Hourneaux Junior (FEA/USP) - webconferência MCONF

    Resumo: Esta pesquisa investiga o conhecimento em sustentabilidade nas escolas de negócios. Constam de seu conteúdo a revisão conceitual, visando delimitar o modelo PRME como quadro de referência e a sua operacionalização pelos critérios e estágios de identidade sustentável da escola, e a referência empírica, esta constituída de duas escolas signatárias do PRME e de duas escolas não signatárias, permitindo identificar a relevância do PRME para as escolas signatárias. As unidades de análises foram os docentes, os discentes formandos e os Projetos Políticos Pedagógicos dos Cursos. Técnicas de análises qualitativas e quantitativas foram empregadas, como análise de conteúdo, indicador de identidade da escola e classificação hierárquica descendente (CHD), e os dados foram representados por gráficos, tabelas, quadros e diagramas. Os resultados indicam que não há diferenças entre as escolas signatárias e não signatárias, no que diz respeito à incorporação do modelo PRME e os critérios de identidade sustentável. Há a sugestão de rever o PRME como modelo integrado de princípios, de integrar os PPCs a este modelo, de operacionalizar o modelo PRME pelo conceito de identidade sustentável da escola, a partir do qual, indicadores de gestão educacional são identificados para monitorar as fases de apreensão, implementação e incorporação do modelo PRME. Para tanto, há, também, a sugestão de criar a rede de identidade sustentável das escolas, identificando, atores, responsabilidades, funções integradas, elos e orçamentos, se constituindo em uma das etapas para alcançar os objetivos do desenvolvimento sustentável.

  • Adriana Fiorani Pennabel Open or Close


    Seguem informações a respeito de defesa de dissertação de Mestrado agendada na FEA-RP:

    Área:    Administração de Organizações
    Data:    24/06/2019, às 09h00 - horário de Brasília
    Local: 
    Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Percepção de valor da gestão sustentável - um estudo sob a perspectiva dos stakeholders
    Autor: Adriana Fiorani Pennabel

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Adriana Cristina Ferreira Caldana (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Júlio Araújo Carneiro da Cunha (UNINOVE)

    Prof(a). Dr(a). Flávio Hourneaux Júnior (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA) - webconferência MCONF RNP

    Prof(a). Dr(a). Perla Calil Pongeluppe Wadhy Rebehy (FEA-RP)

     

    Resumo: 

    A adoção da gestão sustentável (GS) tem aumentado na última década, seja como reposta dasA adoção da gestão sustentável (GS) tem aumentado na última década, seja como reposta dasorganizações às demandas regulatórias, pressões sociais ou ainda como decisão proativa dosgestores. Contudo, ainda figuram no ambiente corporativo ideias atreladas ao trade-off entre asesferas ambiental, social e econômica, quanto à implementação de práticas sustentáveis. Assim,a fim de minimizar esse trade-off e incentivar a prática proativa da GS nas empresas, o presenteestudo objetiva verificar como a GS reflete em percepção de valor para os stakeholders. Paratanto, a pesquisa apresenta caráter multimétodos, em que são empregadas técnicas qualitativa equantitativa, baseadas em estratégia de estudo de caso, tendo como lente teórica a Teoria dosStakeholders. Colaboradores, clientes e fornecedores de uma empresa definida como objeto deestudo foram selecionados como stakeholders-chave para compor a amostra da pesquisa.Grupos focais foram realizados com a amostra e resultaram na identificação de variáveisassociadas à percepção de valor da GS. De forma complementar, essas variáveis deram origema survey online aplicada a amostra significativa dos stakeholders-chave. Os resultadosencontrados após tratamento estatístico dos dados indicaram a extração de dois fatores a partirdas variáveis de percepção de valor da GS, sendo um deles relacionado ao ambiente externo àorganização e outro ao ambiente interno. Foram ainda identificados três clusters formados pordiferentes perfis de stakeholders relacionados aos dois fatores, o que levou ao desenvolvimentode um Modelo de Gestão de Stakeholders quanto à GS, a fim de auxiliar a empresa naidentificação desses perfis e seu gerenciamento com foco no aumento da percepção de valor daGS. Como agenda futura, sugere-se, dentre outros estudos, a validação de tal modelo para quepossa ser amplamente utilizado pelas empresas que possuem uma GS.

  • Luisa Tondo Vendruscolo Open or Close

    Prezados(as) Senhores(as),

    Seguem informações a respeito de defesa de dissertação de Mestrado agendada na FEA-RP:

    Área:    Administração de Organizações
    Data:    01/07/2019, às 14h00 - horário de Brasília
    Local: 
    Sala 43, bloco B2 da FEA-RP
    Título: A internacionalização no processo de inovação das startups brasileiras de tecnologia de informação e comunicação
    Autor: Luisa Tondo Vendruscolo

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Simone Vasconcelos Ribeiro Galina (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Geciane Silveira Porto (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). André Cherubini Alves (Fundação Getúlio Vargas - FGV) - webconferência MCONF RNP

    Prof(a). Dr(a). João Henrique de Souza Pereira (Universidade Federal de Uberlândia - UFU) - webconferência MCONF RNP

     

    Resumo: 

    Este estudo buscou ampliar o entendimento do impacto da estratégia de internacionalização no processo de inovação das startups. Foram analisadas startups de tecnologia da informação e comunicação (TIC), pois essas são criadas com tecnologias globais e a competição pode ocorrer em nível mundial. Isso justificaria utilizarem como estratégia competitiva a internacionalização em busca por inovação. Foram realizadas entrevistas com sócios-fundadores de startups brasileiras internacionalizadas e o processo de inovação das startups foi observado através da análise de conteúdo das entrevistas pela lente de cada item da estratégia de internacionalização. A motivação, a escolha do país, o tempo, o que internacionalizaram e a forma como as startups chegaram aos países do exterior impactaram o processo de inovação destas empresas nascentes de diferentes formas. Os resultados sugerem proposições que servem como base para estudos futuros. Este trabalho é restrito a uma amostra, mas contribui para o entendimento de como a internacionalização impacta na inovação de startups. A relação entre internacionalização e inovação em empresas nascentes é um vasto campo a ser explorado pela Academia tendo em vista a representatividade econômica dessas startups e a ausência de estudos específicos no assunto.

  • Mariana Silva Lovo Open or Close

    Área:    Administração de Organizações
    Data:    01/08/2019, às 13:30 - horário de Brasília
    Local: 
    Sala 43, bloco B2 da FEA-RP
    Título: Neuromarketing aplicado ao patrocínio esportivo: estudo experimental com eletroencefalografia (EEG) sobre a atitude de torcedores com o patrocinador em diferentes desempenhos da equipe patrocinada
    Autor: Mariana Silva Lovo

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Jorge Henrique Caldeira de Oliveira (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Janaína de Moura Engracia Giraldi (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Claudio Miranda Rocha (University of Stirling) - (Web conferência MCONF)

    Prof(a). Dr(a). Rui Daniel Gaspar Neto Biscaia (Faculty of Business and Law - Coventry University) - (Web conferência MCONF)

     

    ​Resumo: ​​O patrocínio é uma estratégia de acesso ao potencial de marketing explorável relacionado à entidade patrocinada, com seus investimentos aumentando substancialmente ano após ano.

    Dentre os tipos de propriedades patrocinadas o esporte destaca-se, com o futebol sendo a modalidade que mais recebe patrocínio em quantidade e em valores. A principal motivação do patrocínio atualmente está no envolvimento emocional com os fãs esportivos para gestão do componente atitudinal da marca patrocinadora. Apesar do gradual aumento no interesse acadêmico e mercadológico no assunto, a literatura é restrita e emergem dela críticas quanto à necessidade de melhor conhecimento sobre a prática, compartilhadas pelos patrocinadores, os quais anseiam por pesquisas acerca da atitude do torcedor com a marca patrocinadora. A aferição da atitude não é fácil, pois trata-se de um constructo psicométrico que envolve fatores cognitivos, emocionais e comportamentais. Nesse sentido, técnicas de neuromarketing solucionam essas dificuldades, mas nunca tendo sido aplicada ao patrocínio esportivo para este​ ​fim. Preenchendo esta lacuna acadêmica e mercadológica, e dado que as emoções no esporte estão muito atreladas ao desempenho do clube, o objetivo desta pesquisa é verificar a existência de alterações significativas na atitude que torcedores, com diferentes graus de identificação com o clube, têm para com o patrocinador da equipe em situações de desempenhos distintos do time patrocinado, usando-se de técnicas de neuromarketing; atuando com pioneirismo no assunto.

    Não foram observadas diferenças significativas em nenhum dos três componentes atitudinais e assim, verificou-se que o desempenho do clube não influencia a atitude que os torcedores muito e pouco identificados têm para com o patrocinador da equipe. Os resultados evidenciaram que a literatura vigente sobre a influência do desempenho da equipe na atitude do torcedor em relação ao patrocinador é falha e que métricas de neuromarkting podem ser muito eficientes na compreensão do processamento do patrocínio. Apesar do desempenho não ter causado efeito na formação da atitude, foram observadas algumas sutis diferenças e insights interessantes sobre o patrocínio que suscitaram suposições e sugestões de pesquisas futuras. Indica-se a ampliação do uso do neuromarketing em pesquisas sobre os processos mentais existentes no patrocínio em estudos sobre a latência de resposta do torcedor, para verificar se o desempenho é ou não um nó associativo da imagem do clube e se esse nó é ou não compartilhado com o​ ​patrocinador; estudos sobre como a atitude do torcedor comporta-se em patrocínios​ ​ajustados/desajustados, com e sem a articulação do ajuste, a fim de verificar se o ajuste e a articulação são elementos fundamentais do processo de transferência associativa e atitudinal no patrocínio; pesquisas sobre o comportamento neocortical enquanto torcedores respondem a escalas atitudinais e de intenção de compra dos patrocinadores, com o intuito de verificar como as áreas cerebrais agem na tomada de decisão e na resolução de dilemas morais entre o apoio ao patrocinador e crenças pessoais dissonantes e consonantes sobre ele e, por fim, pesquisas similares à desenvolvida neste estudo, porém, com amostras maiores e mais diversificadas de torcedores, bem como em modalidades distintas e com patrocinadores diferentes.

  • Eduardo Falsarella Junior Open or Close

    Área: Administração de Organizações
    Data: 25/06/2019, às 14h00 (horário de Brasília)
    Local: Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Estratégias financeiras que colaborem para sustentabilidade de operadoras de saúde filantrópicas brasileiras
    Autor: Eduardo Falsarella Júnior

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Alexandre Pereira Salgado Júnior (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Alexandre Bevilacqua Leoneti (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Perla Calil Pongeluppe Wadhy Rebehy (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Silvia Sidnéia da Silva (Universidade de Ribeirão Preto - UNAERP)

    Prof(a). Dr(a). Luciano Mendes (Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - Esalq)

    Prof(a). Dr(a). Heliani Berlato dos Santos (Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - Esalq)

     

    Resumo: O sistema de saúde complementar brasileiro tem um papel importante em preencher o espaço não ocupado pelo sistema único de saúde (SUS) na economia brasileira. Assim, torna-se importante gerir o sistema privado (de saúde suplementar) de forma sustentável, evitando uma sobrecarga do SUS. Esta preocupação materializou-se pelo governo com a criação da Agência Nacional de Saúde Suplementar - um órgão regulador que passou a fiscalizar e endurecer as regras do setor. Desta forma o setor passou por uma grande redução no número de Operadoras de Saúde Suplementar (OPS), gerando preocupações com o setor, e em especial a forma de gestão. O presente estudo destacou a categoria de OPS filantrópicas por estar em evidência pela rápida redução do número de OPS ao longo dos anos. Isto mostra que estas estão passando por maiores dificuldades. Assim, este estudo tem como objetivo propor estratégias financeiras que colaborem para sustentabilidade de operadoras de saúde. Aplicou-se a metodologia quanti-qualitativa proposta por Salgado Junior e Novi (2014). Na etapa quantitativa dividiu-se em dois estágios, sendo o primeiro estágio as avaliações financeiras e de prestação de serviço, formando assim um plano cartesiano, sendo a abscissa e ordenada, respectivamente as eficiências em prestação de serviços e financeiras das operadoras. Este gráfico foi dividido em 9 partes, diferenciando as OPSs de acordo com suas eficiências. Para o pilar de sustentabilidade financeira utilizou-se, como parâmetro de avaliação da eficiência, a variável ROA (retorno sobre o ativo), e no pilar de prestação de serviços, a metodologia DEA CCR. O segundo estágio da etapa quantitativa contou com testes estatísticos para encontrar as diferenças estatisticamente significantes. As variáveis identificadas foram então utilizadas como insumos para criação dos instrumentos de pesquisa, financeiro e de serviços, bem como o roteiro de entrevista semiestruturado utilizado na etapa qualitativa. A amostra de OPS foi composta de 43 operadoras, das quais seis aceitaram participar e contribuir para o estudo de caso. Por meio das entrevistas realizadas em campo, foi possível identificar boas práticas de gestão, que traduzidas em estratégias financeiras, podem contribuir para a sustentabilidade financeira das OPS filantrópicas, e com isso cumprir com o objetivo proposto no trabalho. Os resultados enfatizaram 71 estratégias de gestão, que podem ser aplicadas por gestores, fiscais, pesquisadores e profissionais da área, além de colaborar para a sustentabilidade das OPS filantrópicas.

  • Geraldo Vitali Neto Open or Close

    Seguem informações a respeito de defesa de dissertação de Mestrado agendada na FEA-RP:

    Área:    Administração de Organizações
    Data:    08/08/2019, às 10h00 - horário de Brasília
    Local: 
    Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Os modelos organizacionais e sua influência sobre o desenvolvimento municipal: estudo comparativo entre três municípios da Região Metropolitana de Ribeirão Preto - SP
    Autor: Geraldo Vitali Neto

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Cláudia Souza Passador (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Flávia Trentini (Faculdade de Direito de Ribeirão Preto - FDRP)

    Prof(a). Dr(a). Mirna de Lima Medeiros (Universidade Estadual de Ponta Grossa)

    Prof(a). Dr(a). Luciana Oranges Cezarino (Universidade Federal de Uberlândia - UFU)

     

    Resumo: 

    Este trabalho dedicou-se a procurar uma relação entre o modelo organizacional predominante em Ribeirão Preto, Sertãozinho e Jaboticabal, os três maiores municípios em termos populacionais da Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP), e o nível de desenvolvimento socioeconômico atingido por eles. Para tanto, foi imprescindível estudar a trajetória do desenvolvimento histórico-constitucional dos municípios brasileiros, desde sua hesitante institucionalização, ainda durante o Primeiro Reinado (1822-1831), até seu verdadeiro reconhecimento como ente federativo pela Constituição de 1988. Foi de suma importância também efetuar a análise dos diferentes modelos organizacionais que foram sucessivamente adotados no Brasil. Assim, desde o modelo patrimonial, trazido e implementado pelos colonizadores portugueses, até o modelo societal, ainda hoje em disputa por espaço e por hegemonia contra o modelo gerencial, os modelos seguiram-se no tempo e influenciaram-se mutuamente, constituindo, muitas vezes, não uma ruptura, mas períodos difusos, que apresentam características de mais de um modelo organizacional. Desta maneira, o estudo pôde, por intermédio da análise das legislações municipais disponíveis que tratam das reformas administrativas implementadas nos municípios, determinar os modelos organizacionais predominantes nesses mesmos municípios. Em seguida, foi necessário coletar e comparar os dados socioeconômicos dos municípios e relacioná-los aos modelos organizacionais predominantes. Como subsídio e complementação ao trabalho, a pesquisa contou também com a aplicação de questionário a servidores públicos dos três municípios, de modo a conhecer a percepção que têm a respeito de alguns tópicos da administração pública e dos modelos organizacionais. Ao final do estudo abriram-se condições para compreender melhor a dinâmica de coexistência entre os modelos organizacionais e sua eventual relação com o desenvolvimento socioeconômico municipal, além de ensejar novos estudos relacionados ao tema.